barra surf

Aviso
  • There was a problem rendering your image gallery. Please make sure that the folder you are using in the Simple Image Gallery Pro plugin tags exists and contains valid image files. The plugin could not locate the folder: images/galerias/jadson

Jadson André venceu Cascais Billabong Pro

f2jadson hpCom um tubo que deu 10 pontos, o brasileiro Jadson André somou uma alta pontuação para eliminar o norte-americano Conner Coffin, na final do Cascais Billabong Pro que decorreu no Sábado 26 de Outubro.

Jadson André, de 23 anos, fora do circuito do WCT, por motivo de lesões e pessoais, apareceu em Carcavelos quase despercebido no meio de tantas estrelas. Ele necessitava de alcançar boa pontuação nesta prova para ficar em primeiro lugar no WQS e regressar ao circuito dos 32 melhores do mundo, onde já esteve.
Foi sempre muito concentrado e com excelentes prestações, que ganhou nas eliminatórias ao australiano Wade Carmichael, eliminou Granger Larsen do Havai, nos quartos de final e o francês Jeremy Flores, nas meias finais.
Com um percurso semelhante durante a prova, Conner Coffin, de 20 anos, foi-se apurando para a final, eliminando sucessivamente alguns consagrados como C.J Hobgood, Jonathan Gonzalez e Carlos Munoz
Na final, com ondas muito boas, de 1,5 metros, e a praia de Carcavelos cheia de público, o surfista brasileiro foi apanhando e pontuando em ondas sucessivas, deixando muito poucas hipóteses ao seu adversário, batendo o ainda júnior Conner Coffin, com uma pontuação total de 16.50 pontos em 20 possíveis, incluindo um tubo de 10 pontos que foi nota máxima. Coffin somou apenas 7.10 pontos, mostrando-se impotente perante o surf de Jadson André.
Para o jovem norte-americano este foi o melhor resultado da sua carreira, que lhe abre as portas também de acesso ao circuito mundial.
No final, quando chegou à praia, Jadson emocionado ainda chorava e depois de rezar disse: “Este, foi um ano muito difícil para mim, além das lesões foi o acidente grave que meu irmão mais novo sofreu e ficou 12 dias em coma. Como já está melhor, eu já me concentro bem. Tenho uma ligação muito grande aqui com Portugal e tinha a certeza que na bateria final, quase 100% da praia ia estar torcendo por mim. E foi o que aconteceu. Agora vem o Havai, faltam menos de 2 semanas, serão três eventos lá e eu tenho de estar bem preparado. Principalmente, fisicamente.”

 

{gallery}galerias/jadson{/gallery}