barra-vela1.jpg

Vendée Globe já na Nova Zelândia

1 ban hpAgora com o “Banque Populaire” de Arnel Le Cleach à frente e o “Hugo Boss” do inglês Alex Thonson, logo atás, apenas a 188 milhas de distância, a cabeça da Vendéé Globe está já a passar a Sul da Nova Zelândia.
Desde que passaram o Cabo da Boa Esperança, os dois veleiros andaram vários dias à vista um do outro. Umas vezes com o velejador inglês à frente e, finalmente, Arnel Le Cleach passou a comandar a regata. Ambos vão a navegar com os mesmos ventos e à mesma velocidade, a 18.8 nós.
Já desistiram sete concorrentes e a frota compõe-se agora de 22 veleiros. Os três últimos, vão quase juntos e ainda perto do Cabo da Boa Esperança à distância de 6.650 milhas do lider, o “Banque Populaire”, são o espanhol Didac Costa no “One Planet OnOcean” e os franceses Romain Attanasio no “Famille Mary” e Sébastian Destremau com o “TechnoFirst”.1 ban1
Romain Attanasio perdeu quase dois dias numa enseada na Áfricado Sul a reparar o barco. O casco sofreu delaminação na parte inferior e nos lemes, acabando por conseguir reparar um e trocar o outro com as folhas de cabono que levava. Depois da reparação ainda teve que esperar pela manhã para que tudo secasse 
Os perseguidores mais directos dos da frente, estão longe e ainda vão ao Sul da Austrália, são o “SMA” dePaul Meilhat, a 1.440 milhas de distância e o Maitre Coq, de Jeremy Beyou, 1.556 milhas. Atrás destes no mesmo rumo vêm os franceses Yann Èlier no “Quequiner” a 1.911 milhas e Jean-Pierre Dick que já resolveu os problemas no seu barco, o “St.Michel-Virbac”, e vai a 2.021 milhas do “Banque Populaire” e agora a querer passar o “Quequiner” que está 100 milhas à sua frente.
Navegar mais para Sul é uma tentação, mas é aí que surgem os icebergs. Nesta região o melhor é seguirem um rumo seguro e atrás uns dos outros