barra-vela1.jpg

Batidos dois recordes na Regata Les Sables/Horta/Les Sables

conser hpDois recordes de tempo de navegação foram, no passado dia 17 de Julho, batidos no final da segunda etapa da quinta edição da regata Les Sables / Horta / Les Sables de 2015 para iates da Classe 40.
O recorde mais significativo é aquele que fixa uma nova marca na ligação marítima entre os Açores e França, agora estabelecida em apenas 4 dias, 17 horas, 38 minutos e 30 segundos.
A dupla francesa Yannick Bestaven / Pierre Brasseur, no veleiro de última geração “Le Conservateur”, foi a protagonista deste tempo fulminante (à média impressionante de 15,1 nós), que suplanta em 21 horas o registo na posse da equipa Jean-Edouard Criquioche e Jacques Fournier, que com o iate “Groupe Picoty” completara em 2011 as 1270 milhas de viagem da Horta a Sables d’Olonne em 5 dias, 14 horas, 46 minutos e 26 segundos.larga
O veleiro “Le Conservateur” passa a deter, entretanto, também o melhor tempo final acumulado, feita a soma às duas etapas desta competição internacional, o qual agora se situa em 11 dias, 19 horas, 30 minutos e 31 segundos, fazendo cair um recorde já com seis anos, que datava de 2009 e pertencia ao veleiro “Telecom Itália”, da dupla Giovanni Soldini / Karine Fauconnier, na altura com 12 dias, 17 horas, 34 minutos e 38 segundos de navegação de alto mar.
O segundo na meta foi o “Solidaires en Peloton ARSEP”, da equipa Thibault Vauchel-Camus / Victorien Erussard, ambos gauleses, que chegaram a Sables d’Olonne com mais 1 hora, 17 minutos e 46 segundos que os primeiros e que nas contas finais foram vice-campeões da prova, com 12 dias, 2 horas, 32 minutos e 17 segundos de percurso global.
Em terceiro lugar à chegada da segunda etapa ficaram os também franceses Louis Duc / Yves Sales, no iate “Carac Advanced Energies”, com 4 dias, 23 horas, 42 minutos e 8 segundos de viagem, pouco menos que a dupla gaulesa Bertrand Delesne / Nils Palmieri, do “TeamWork 40”, que fez o tempo de 4 dias, 23 horas, 50 minutos e 55 segundos, mas que face à vantagem de cerca de duas horas que traziam da primeira etapa acabaram por conquistar o último lugar do pódium neste competição.
Os velejadores cumpriram as 1270 milhas náuticas entre os Açores e a costa oeste-atlântica de França com condições muito favoráveis de mar e vento, confirmando-se o favoritismo do skipper do “Le Conservateur”, Yannick Bestaven, um dos mais destacados concorrentes da frota - no seu currículo avulta o primeiro lugar na Transat Jacques Vabre, em 2011 (na Classe 40) e, ainda, a vitória na Transat 6.50 de 2001, para solitários, em embarcações ‘mini’.
Esta prova tem, ainda, os apoios do Conselho Regional do Pays de la Loire, do Conselho Geral de Vendée, do Port Olona e da Associação Náutica de Bourgenay, sob os auspícios da Federação Francesa de Vela. Nos Açores a regata conta com a coordenação logística da Comissão Náutica Municipal da Horta, que integra a Câmara Municipal da Horta, o Clube Naval da Horta, a Portos dos Açores S.A. e a Associação Regional de Vela dos Açores, recebendo o apoio do Governo dos Açores.