barra-vela.jpg

Trimaran ARKEMA a salvo na Madeira

arkema hpApós quase 1 semana, do acidente a 300 milhas N da Madeira, que capotou em alto mar, o trimaran “ARKEMA Región Aquitaine” chegou à Madeira e está acostado na Marina Quinta do Lorde.

Esta foi uma verdadeira aventura para os 2 skippers e restante equipa de apoio que levaram 6 dias a percorrer as 300 milhas a uma velocidade de 2 nós, e rebocados pelo robocador oceânico belga WEST.
A ideia inicial era fazer rodar o trimaran à sua posição correcta, ainda em alto mar, mas as condições de ondulação não permitiram aos tripulantes e equipa técnica embarcada a bordo do rebocador, de o fazer em segurança e optaram por rumar á Madeira.
Ontem de manhã, procederam à manobra de voltar a colocá-lo em posição, numa operação que envolveu vários elementos da Autoridade Portuária – APRAM e OPM com recurso a uma grua do Porto do Caniçal.
A Autoridade Marítima acompanhou esta operação bem como o reboque até à Marina da Quinta do Lorde, já com o apoio de 2 botes semi-rígidos.
De acordo com o skipper Lalou Roucayrol : “Finalmente chegámos a terra firme, 9 dias após o acidente. Recordaremo-nos para sempre desta experiência e do reboque em alto mar. Foi muito difícil e prolongada a operação de conseguir trazer o barco em segurança para a Madeira, e tivemos muita sorte que o barco esteja intacto.
O comandante, do rebocador WEST, foi fantástico no apoio. Éramos 14 pessoas a bordo – Russos, holandeses, Filipinos, Português e 6 pessoas da nossa equipa.
Agora vamos passar à 2ª fase que consiste na recuperação do barco. Estamos actualmente numa marina magnífica, que nos permite beneficiar de todas as infra-estruturas necessárias á recuperação do barco. Deveremos de seguida tomar a decisão sobre o timing e forma de voltar com o barco a França”.
O Trimaran ARKEMA, é um monotipo construido pelo proprietário e skipper Lalou Roucayrol. Com 15 metros de comprimento e 14,95 metros de boaca, o matrial ultra leve o casco e maestro permite-lhe uma arqueação de apenas 5 tons.
Este trimaran é o resultado de mais de 22000 horas de mão- de-obra, durante um período de 17 meses de construção, numa decisão estratégica de optar pró materiais que combinam inovação e alta performance.
Esta é aliás uma equipa experiente, com provas dadas em outras competições internacionais e que não teve sorte nesta regata.
Em Junho passado a equipa comandada por Lalou Roucayrol, ganhou a 1ª etapa da regata “La Route des Princes”, na categoria Multi 50’.