barra-vela.jpg

Tema Sintra Portugal Pro termina com ondas perfeitas e quatro campeões do Mundo

dave hubbardTerminou da melhor maneira, no dia 28 de Setembro na Praia Grande em Sintra, a 19ª edição do Sintra Portugal Pro, a quinta e última etapa do Circuito Mundial de Bodyboard, com ondas perfeitas, sol e a definição de quatro campeões do Mundo, Amaury Lavernhe (Open), Alexandra Rinder (Feminino), Dave Hubbard (Drop Knee) e Tristan Roberts (Pro júnior).

Quanto aos vencedores do evento, Dave Hubbard e Isabela Sousa venceram o Sintra Portugal Pro nas categorias open e feminina, Amaury Lavernhe conquistou o evento em Drop Knee e Tristan Roberts somou o triunfo no evento ao título mundial de juniores.
Ironicamente, Dave Hubbard, que repetiu o segundo título mundial aqui em Sintra, acabou por terminar o dia a vencer o evento na categoria open, batendo Amaury Lavernhe na final, enquanto Amaury acabou por vencer a categoria de Dropknee.
O novo campeão do Mundo open, aliás, terminou o último dia com 6 baterias no corpo mas, naturalmente, muita felicidade.
“Tenho de dar graças ao momento que estou a atravessar na minha vida”, congratulou-se o francês radicado nas ilhas Canárias, acrescentando: “Este está a ser um ano especial para mim. Fui pai, casei-me há duas semanas e agora sagrei-me campeão do Mundo.”
O havaiano Dave Hubbard venceu em Sintra o primeiro evento open da sua carreira depois de eliminar o português João Barciela nas meias-finais e bater Amaury Lavernhe na final,
O havaiano, dono de 6 títulos mundiais de Drop Knee, manifestou a alegria e o orgulho de vencer em Sintra: “Sempre quis vencer aqui. Muitos dizem que a onda não se adequa ao seu surf e menosprezam-na por isso”
Alexandra Rinder compete em Sintra desde os 12 anos e vê-la no pódio, aos 16 anos (a mais jovem campeã mundial de sempre), escondendo as lágrimas atrás dos óculos escuros, emocionou muita gente que a vê competir em Sintra desde menina.
O caminho para o título foi atribulado, pois Alexandra foi eliminada na ronda 4 da competição e teve de esperar que a japonesa Sari Ohara e a brasileira Jessica Becker não vencessem o evento. Sofreu até final mas foi salva por outra brasileira, ironicamente, a campeã que agora lhe passou o testemunho, Isabela Sousa.
Isabela confessou que “foi difícil afastar o título do Brasil, mas não me sentiria bem entrar na água e não fazer tudo para vencer. A competição é a minha vida, é algo sagrado, e nunca iria trair isso.”
Tristan Roberts venceu o pro-júnior de Sintra e, consequentemente, após somar os resultados da etapa de Pipeline e do open de Sintra, sagrou-se campeão mundial sub-18, batendo na final o português Miguel Adão. O jovem sul-africano de 17 anos confirmou o estatuto de uma das maiores esperanças do bodyboard mundial, deixando o havaiano Tanner McDaniels (14 anos) em segundo no “ranking”.
João Barciela assinou hoje em Sintra uma prestação histórica, só superada por Manuel Centeno, o único português a ganhar o evento, classificando-se em terceiro lugar da geral, a par do brasileiro Lucas Nogueira.tristan
Barciela, local de Carcavelos, deixou pelo caminho o três vezes campeão mundial Jeff Hubbard e o sul-africano candidato ao título Jared Houston e só foi travado por um imparável Dave Hubbard na meia-final. No final, o balanço era claramente positivo:
“A partir do momento em que entrei no ‘main event’, na fase da competição com os melhores do Mundo, mudei a minha atitude e entrei, não digo só para me divertir, mas sem qualquer pressão”
Catarina Sousa também subiu ao pódio após conseguir um 9º lugar (eliminada nos quartos por Isabela Sousa) e deixou uma mensagem inspiradora: “Compito no Sintra Portugal Pro desde a primeira edição e espero que o que consegui aqui em 2009 (ano em que venceu a competição) e o que fiz aqui hoje motive as minhas alunas e mais gente a abraçar este desporto.”