barra surf

Azores Airlines Pro 2016 na Praia do Monte Verde

mazurel hpNo segundo dia do Azores Airlines Pro 2016 presented by Sumol, a Praia do Monte Verde, na Ribeira Grande, proporcionou boas ondas de 1,5m aos melhores surfistas do mundo, para a conclusão do primeiro round masculino e realização do seu segundo round completo.
As maiores foram as eliminações dos brasileiros Messias Félix e Jesse Mendes, excampeões desta prova, em 2012 e 2014, respectivamente. Mas não foram os únicos a serem surpreendidos por surfistas menos cotados, uma vez que atletas como os australianos Soli Bailey e Ethan Ewing, os brasileiros Bino Lopes e Michael Rodrigues, o costa-riquenho Carlos Muñoz, o japonês Hiroto Ohara ou os portugueses Vasco Ribeiro, Pedro Henrique e Nicolau Von Rupp (habituais nos lugares cimeiros do ranking mundial) também caíram da prova hoje. 
Em destaque estiveram Yago Dora, Deivid Silva e Ian Gouveia, do Brasil, que fizeram das pontuações mais altas do dia, graças a ondas muito bem trabalhadas e manobras aéreas muito seguras, mas também o italiano Leonardo Fioravanti (líder do ranking mundial de qualificação), o americano Evan Geiselman ou o português Frederico Morais, que conseguiu um dos cinco melhores scores totais do dia. 
“Kikas”, como é conhecido o surfista português em melhor posição no ranking mundial, teve uma entrada dominadora em prova, mostrando o “power surfing” que o levou a vencer já uma etapa este ano e batendo assim o americano Ian Crane, ambos eliminando o inglês Luke Dillon e o costa-riquenho Carlos Muñoz. 
O italiano Leonardo Fioravanti, de apenas 18 anos, foi outro dos surfistas que mais surpreendeu hoje, devido à recuperação, nos últimos 5 minutos da sua bateria. A precisar de uma nota boa para melhorar a sua posição e avançar para a terceira fase, Leo (que já fez quartos de final na etapa açoriana, em 2014) apanhou duas ondas em menos de nada e destruiu-as com o seu surf veloz, conseguindo duas notas na casa dos 8 pontos e a segunda melhor pontuação do dia – 16,77 pontos em 20 possíveis.  
A melhor ficou para Yago Dora, que fez 17,60 pontos logo numa das primeiras baterias do dia, deixando a melhor onda da prova para o seu compatriota Ian Gouveia, acabado de chegar de uma final no evento anterior, na Galiza. Gouveia fez um dos aéreos mais espetaculares e elevados vistos até agora, merecendo os 9,47 pontos em 10 possíveis atribuídos pelos juízes. 
Entre os portugueses, hoje apenas Frederico Morais avançou e é agora o nosso único representante na prova masculina. Para trás ficaram Tomás Fernandes, Pedro Henrique, Vasco Ribeiro, Nicolau Von Rupp (que ontem venceu muito bem a sua bateria) e os wildcards locais Pedro Cordeiro e Jácome Correia. Todos deram boa conta de si, mas acabaram eliminados em baterias muito renhidas, onde, desta vez, também não tiveram a sorte do seu lado. 
Amanhã o Azores Airlines Pro 2016 presented by Sumol terá início cerca das 8h30m, com a provável realização da terceira fase masculina e da segunda fase feminina, que assim regressa à água com a participação de quatro surfistas portuguesas.
 
Foto: Masurel/WSL