barra-surf

Campanha EMEPC-M@rbis 2012 - Berlengas

destaque-mergulho4Quando o homem sonha, acredita e quando acredita quer e ao querer, transforma o sonho em realidade, sendo desta mística que se fazem os vencedores. É neste contexto que nos últimos anos se tem vindo a efetuar algumas campanhas oceanográficas de âmbito científico em prol de um mais amplo e melhor conhecimento dos fundos e da vida marinha da costa portuguesa.

Conhecer Melhor o Mar Português

A EMEPC – Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental, pela competência que lhe foi atribuída pelo governo de Portugal, tem dinamizado estas missões com a participação da comunidade científica nacional e internacional no âmbito do conhecimento do meio marinho com enorme sucesso, desenvolvendo e implementando o sistema M@rBis. Reúnem-se esforços, criam-se consensos e movem-se vontades numa dinâmica empreendedora com resultados muito positivos nas mais diferentes perspetivas.
O sucesso nesta matéria tem resultado e continua a avançar com o pressuposto de algumas realidades e circunstâncias fundamentais:
A gestão da EMEPC que internamente e de forma relevante organizou a sua própria estrutura, operacionalizando meios e competências;
A inestimável colaboração e apoio da Marinha Portuguesa e do NTM Creoula, a bordo do qual se tem realizado o “trabalho de campo”;
O apoio profissional da Nautilus Sub na área da gestão e segurança do mergulho e trabalhos no meio marinho;
A interação de diversas universidades e o interesse absolutamente fundamental de cientistas e investigadores portugueses e também de muitos outros dos quatro cantos do mundo.
Foi assim que no passado dia 17 de Setembro o Creoula enfunou as velas com destino à Berlenga, levando a bordo uma equipa de cientistas com o objetivo de durante duas semanas procurar, investigar e estudar a vida marinha naquele arquipélago. Os dados e registos naquela zona eram antigos e a carecer de atualização elevando naturalmente a perspetiva para esta expedição.
A bordo uma equipa da EMEPC constituída pelo Prof Frederico Dias que chefiou esta missão, e pelas biólogas Estibaliz Berecibar, Inês Tojeira e Mónica Albuquerque, tratavam de tudo o que fosse logística e organização, criando grupos de trabalho, para as tarefas de bordo, para o mergulho e também para o apoio na triagem. A equipe da Nautilus Sub, constituída por José Tourais, Miguel Carvalho, Casimiro Sampaio, Nuno Raposo, Ivan Peixoto e Ana Cristina Castanheira lideravam a gestão de mergulho e a logística para os mergulhos à volta das ilhas e ilhéus da Berlenga, Estelas e Farilhão.