barra-surf

Dia Nacional do Mar comemorado na Praia de Mira

f1 xavega hpNa Praia de Mira, no dia 16 de novembro, a Sociedade de Geografia de Lisboa, a Câmara Municipal de Mira, o Instituto Hidrográfico, o Centro de Estudos do Mar e a Confraria Marítima de Portugal promoveram uma jornada comemorativa do Dia Nacional do Mar de 2013, sob o tema“O Oceano: Literacia e Cidadania”.

As comemorações decorreram no Museu Etnográfico, Posto de Turismo e Centro Cultural e Recreativo.
Pelas 11h00, a jornada foi aberta no Centro Cultural e Recreativo pelo Presidente da Câmara Municipal de Mira.
Seguiu-se, uma breve intervenção, do CAlm José Bastos Saldanha, em representação do Presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa, que enalteceu a impressiva paisagem cultural viva que está associada à longeva pesca de cerco e alar para terra, a arte, conhecida no Algarve por xávega (termo de étimo árabe) que no Século XX a administração das pescas designou genericamente por arte-xávega; e evidenciou o estudo “Palheiros de Mira: Formação e Declínio de um Aglomerado de Pescadores.
Depois, o CAlm António Silva Ribeiro, Diretor-geral do Instituto Hidrográfico, em representação do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada, introduziu a ideia de previsão das condições de rebentação em praias onde se exerce a prática de arte-xávega a fim de conferir melhores condições de segurança ao seu exercício, ideia que foi depois explanada pelo Cte. Santos Fernandes com apresentação do novo serviço de previsão de ondas para a segurança da navegação das embarcações tradicionais da arte-xávega, designado por “Qual é a tua Onda…na Arte-Xávega”
Às 14h00, no Museu Etnográfico e Posto de Turismo, onde se encontrava instalado um posto de correio ad hoc, procedeu-se à aposição inaugural do carimbo comemorativo do Dia Nacional do Mar. Foram disponibilizados a título gracioso bilhetes-postais editados pelo Instituto Hidrográfico que reproduzem o cartaz do Dia Nacional do Mar para aposição do carimbo que apresenta uma expressiva silhueta de um “barco-do-mar” e a legenda “Dia Nacional do Mar CTT Mira 2013.11.16”.
Cerca das 15h00, no Centro Cultural e Recreativo, foi aberto o colóquio “Património marítimo e economia azul” com uma introdução sobre o tema pelo CAlm José Bastos Saldanha, que evocou o Dia da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), que ocorre nesta data.
Seguiram-se diversas intervenções, moderadas por Alfredo Pinheiro Marques, Diretor do Centro de Estudos do Mar. 
Luís Diamantino Carvalho Batista, Vice-presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, falou sobre “A Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios”.
Francisco Alves, individualidade convidada pela Comissão Nacional da UNESCO, dissertou sobre “O conceito de património cultural subaquático: substância e metáfora”.
Em seguida, o Prof. Armando Teixeira Carneiro, Diretor do Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração, teceu considerações sobre a origem da locução “economia azul”,
José Vieira, Presidente da Associação Portuguesa de Arte-Xávega, falou de “A realidade patrimonial e socioeconómica da comunidade piscatória da Praia de Mira”, conferindo particular ênfase à finalização do relatório da Comissão de Acompanhamento da Pesca com Arte-Xávega criada no âmbito da Secretaria de Estado do Mar para produzir informação e estudar soluções legislativas e económico-sociais com vista à regulamentação e à sobrevivência deste tipo de pesca artesanal, e das comunidades de pescadores que a ela se dedicam desde há séculos nos litorais portugueses.
Mestre Gonçalo Carvalho, Presidente da SCIAENA – Associação de Ciências Marinhas e Cooperação, abordou a questão “Que futuros para a pequena pesca na União Europeia e em Portugal?”, tendo procurado delinear o enquadramento oficial da pequena pesca com incidência na arte-xávega e os condicionamentos existentes e apontou soluções.
O debate, que se seguiu, centrou-se de modo intenso e revelador de alguma inquietação sobre a atividade da arte-xávega e o seu futuro próximo e ainda em questões relacionadas com o ordenamento da orla costeira e do espaço marítimo contíguo.
Cerca das 18h00, o Presidente da Câmara Municipal de Mira deu por encerrado o colóquio e a jornada, depois de ter referido as diligências que, a propósito da arte-xávega, encetara junto do Ministério da Agricultura e do Mar.